Autor / Parceria: 
OPAS/OMS e UFRGS
Tema: 
Qualidade e Efetividade dos serviços de APS
Âmbito: 
Nacional
Unidade de análise: 
Usuários de médicos cubanos e brasileiros do PMM e médicos brasileiros inseridos na ESF (6.160 usuários). Médicos cubanos do PMM (8.235 médicos cubanos)
Metodologia: 
Estudo transversal avaliativo com aplicação da versão reduzida do PCATool-Brasil a usuários e médicos cubanos.
Resultados / Conclusões: 
Predomínio de estratos mais vulneráveis atendidos por médicos cubanos. O Escore geral da APS no grupo MM Cuba (6,86) é maior do que o da média nacional, mostrando tendência de superioridade em relação aos grupos Brasil (6,74) e ESF (6,73). O Acesso foi considerado baixo no país (4,24), com diferença estatisticamente significativa entre os grupos. O grupo MM Cuba com melhor escore (4,43). Os grupos Brasil (4,08) e ESF (4,20). Longitudinalidade teve alto escore (7,43), sem diferença significativa entre os grupos, com tendência de maior escore no grupo ESF (7,48), do que nos grupos MM Brasil (7,43) e MM Cuba (7,38). Mais consultas foram obtidas no mesmo dia com médicos de Cuba (51,8%), do Brasil (41,3%) e da ESF (46,7%).
Recomendações / Lições aprendidas: 
Necessidade de identificar outros fatores que obstaculiza o acesso frente a baixo escore deste atributo em todo o país. Repensar a forma de organização das equipes de APS com relação aos horários de atendimento, possibilitar demanda espontânea em situações agudas. Ampliar uso das Tecnologias de Informação e Comunicação. Reorganização do processo de trabalho das equipes, com ênfase na subsidiariedade, e no trabalho clínico do médico e do enfermeiro, com assunção de tarefas de promoção de saúde e prevenção por outros profissionais da equipe. Melhoria na estrutura das unidades de atenção.
Status: 
Concluído